Os Princípios da boa gestão financeira pessoal

Atualizado: Abr 3

Nesse artigo quero conversar um pouco com você sobre gestão financeira pessoal, em especial, os princípios que norteiam a boa gestão. Antes de mais nada, é importante ressaltar que a área de finanças pessoais não é uma área exata, por assim dizer, logo não há "receita de bolo". Por isso que as ideias iniciais que vou tratar aqui são tidas como princípios, pois vão nortear a prática de como você cuidará de seu dinheiro. Vamos aos princípios:



GASTE MENOS DO QUE GANHA


Não é por acaso que esse é o princípio inicial, pois é a partir dele que os outros vão derivar. Gastar menos do que se ganha é a forma mais simples de não ter problemas financeiros e é o que vai possibilitar dar passos maiores na vida. Mas por quê, apesar de tão simples e basilar, muitas pessoas não seguem essa ideia? Sabemos que nossa sociedade é muito focada no consumo, somado a isso temos o fato do crédito ser muito acessível em nosso país. Junte mais o fato também de nossa educação financeira ser precária (para não dizer inexistente). Então está pronta a fórmula para que tenhamos uma sociedade altamente endividada e sem ter a noção de como o simples fato de gastar menos do que se ganha pode ser a base para uma vida financeira melhor.


PAGUE-SE PRIMEIRO


"Regra de ouro" quando o assunto é finanças pessoais. Responda a pergunta: "Qual é a dívida mais importante para se pagar no mês?". Se você pensou que é o aluguel, prestação do carro, escola dos filhos, então você precisa entender esse princípio. Pagar-se primeiro significa que antes de mais nada você deve reservar uma quantia de sua renda para você mesmo. E eu não estou falando de uma quantia para gastar com o seu consumo, mas poupar uma parte para que assim você possa formar uma reserva financeira ou cumprir as metas que lhe levam aos seus objetivos de vida.


FORME UMA RESERVA FINANCEIRA


Também chamada de reserva de emergência, a sua formação é de importância vital para a boa gestão financeira. Caso você não saiba do que se trata, a reserva financeira é nada mais do que um valor acumulado que lhe permita ter tranquilidade e segurança caso você precise de dinheiro além do que você usa normalmente no dia-a-dia. Pense no seguinte: Você trabalha, recebe seu salário, paga suas contas e se mantém. Até aí tudo bem, mas e se nesse meio tempo o seu carro quebra ou algum eletrodoméstico em sua casa para de funcionar ou alguém de sua casa fica doente (nada muito grave) ou você recebe uma multa de trânsito ou.... enfim, as possibilidades de adversidades são inúmeras. Agora pense que nisso você tem um valor acumulado, além do seu orçamento mensal, que você possa utilizar para sanar esses problemas. Uma reserva financeira, no mínimo, vai lhe deixar tranquilo (a), com a mente serena para se dedicar ao que importa e também não vai fazer com que você tenha que recorrer a empréstimos, ter que usar o cartão de crédito fora do planejamento ou mesmo tenha que se desfazer de algum bem pessoal.


QUITE SUAS DÍVIDAS


Para que você possa crescer financeiramente é necessário que tenha suas dívidas quitadas. Claro que isso é algo a se analisar com carinho, pois dentro do assunto Endividamento, temos o que chamamos de Dívida boa e Dívida Ruim, não tratamos todas as dívidas como algo ruim. Mas se você tem, por exemplo, uma dívida no limite de sua conta corrente, também conhecida como Cheque Especial (que de especial não tem nada) e isso faz com que você tenha problemas em se manter no mês sem que tenha que recorrer novamente ao cheque especial, então esse tipo de dívida deve ser eliminada o quanto antes. Agora se você decidiu pagar um curso de especialização que vá lhe agregar novas habilidades e resolveu parcelar em 12 vezes no cartão e se essas parcelas estão cabendo perfeitamente no seu orçamento, não faz sentido querer quitar logo de uma vez essa dívida.


DETERMINE OBJETIVOS FINANCEIROS


É importante traçar metas e objetivos para cada real que você ganhar, pois se o dinheiro não tiver um objetivo então qualquer coisa vai fazer você gastá-lo. Já ouviu falar que "dinheiro na mão é vendaval"? Essa frase surgiu justamente por não ser comum as pessoas terem essa ideia de dar objetivo ao dinheiro. A ideia básica é a seguinte: suponhamos que você queria fazer uma viagem de férias e essa viagem custa R$ 3.000,00. Enquanto você não determinar essa viagem como um objetivo financeiro, ela não vai passar de um sonho. Colocando essa viagem como objetivo, você vai poder traçar a meta (poupar 10% de sua renda, por exemplo) para poder chegar ao seu objetivo. Pensando dessa forma você vai começar a priorizar seus objetivos antes de qualquer outra coisa e assim vai poder realizar o que almeja nessa vida.


TENHA UM ORÇAMENTO E ANOTE SEUS GASTOS


Ter um orçamento é uma forma de impor os limites para os gastos, além de poder determinar em quais áreas você vai aplicar seus recursos mensalmente. Um orçamento nada mais é do que um registro do quanto que você ganha e onde se gasta. Para isso exitem vários métodos: um caderno, uma planilha do Excel, um aplicativo de celular. Só o que não é recomendável é você confiar no "orçamento de cabeça", ou seja, tentar controlar tudo apenas mentalmente (eu ainda não vi isso dar certo até agora). Além disso, anotar os gastos também é uma forma de controle que vai lhe permitir analisar o seu padrão de consumo para que assim possam ser feitos ajustes para melhorar a gestão de suas finanças. Nesse ponto também você tem várias ferramentas: um caderno, uma planilha do excel ou aplicativo de celular, basta escolher qual seja mais confortável para você.


BUSQUE EDUCAÇÃO FINANCEIRA


Procure conhecer sobre as finanças, sobre como os bancos trabalham, sobre o mercado financeiro, enfim, os assuntos da área de educação financeira são diversos, interessante e muito úteis, então para que você possa gerir bem seus recursos, é necessário que entenda, mesmo que basicamente, sobre os conteúdos relacionados ao dinheiro. Isso se trata de conhecer as regras do jogo que você vai jogar. Hoje em dia, com a informação sendo disponibilizada em todos os cantos, é bem mais fácil conseguir conteúdo acessível sobre educação financeira e lhe garanto que assim que você começar, não vai querer mais parar.


Esses são os princípios para que você possa cuidar bem do seu dinheiro. Há muito mais conhecimento nessa área de finanças pessoais, mas lhe garanto que se você conseguir entender e colocar em prática essas ideias em sua vida financeira, ela melhorará significativamente. Conte com o Dinheiro Todo o Tempo para lhe ajudar nesse processo.


CLIQUE AQUI para conhecer o meu e-book: "Princípios da boa gestão financeira". Um manual simples e prático com os conhecimentos sobre Educação Financeira que irá lhe ajudar a alcançar um nível financeiro mais sustentável e próspero!


23 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo