Investimentos em Renda Fixa

Atualizado: Abr 3

Saudações! Nesse artigo vou tratar com você sobre as opções que temos no mercado financeiro classificados como Investimentos em Renda Fixa. Conhecer as características básicas de cada uma das opções mais usuais é primordial para que assim possamos escolher onde aplicar o nosso querido dinheirinho. Então, vamos começar:



Primeiramente vamos entender o porquê de ser chamada de "Renda Fixa". Os investimentos que são classificados nessa modalidade são os que passam ao investidor um comportamento linear, de certa forma previsível, onde podemos estimar com grande chance de acerto o quanto iremos ganhar naquele investimentos. É como aquela velha ideia de "o dinheiro aplicado na poupança rende 0,5% ao mês". De posse dessa informação, sabemos, por exemplo que se temos R$ 1.000,00 guardados na Caderneta de Poupança, então podemos esperar que no mês seguinte vamos ter R$ 1.005,00. Ou seja, ganhamos R$ 5,00 em um mês de investimento (os 0,5% mensais sobre o valor aplicado). Todos os investimentos em renda fixa seguem essa ideia, mas cada um deles tem as suas particularidades, vamos analisar as mais comuns no mercado:


1) Caderneta de Poupança


O clássico investimento de renda fixa, bastante conhecida da maioria dos brasileiros (inclusive pela sua história sinistra na época do Presidente Collor). Essa aplicação é a mais simples de se usar e funciona da seguinte forma: você deixa seu dinheiro destinado em uma conta pessoal, administrada por um banco, separada de sua conta corrente, para que quando você precise usar, o dinheiro esteja lá de prontidão. Em contrapartida, o banco administrador pode usar esse dinheiro para as suas atividades habituais (empréstimos) prometendo lhe pagar juros mensais sobre o valor que você tem aplicado.

Sobre a forma como você é remunerado por investir na Caderneta de Poupança, ela segue da seguinte forma: Primeiro, você só recebe os valores de juros se deixar o dinheiro aplicado por 30 dias consecutivos, ou seja, se passar 28 dias aplicado e sacar no dia 29º dia, então não vai ter direito aos juros dos 28 dias em que o dinheiro ficou investido. Segundo, os valores da remuneração da poupança são, de certa forma, variáveis de acordo com a taxa SELIC, nessa ordem:


*Quando a Taxa SELIC (taxa básica de juros) estiver abaixo de 8,5% ao ano, a poupança rende 70% do valor da SELIC mais a Taxa Referencial;

*Quando a Taxa SELIC estiver maior do que 8,5% ao ano, o rendimento passa a ser de 0,5% ao mês, mais a Taxa Referencial.


No nosso cenário econômico atual, temos uma taxa SELIC em 2% e uma Taxa Referencial em 0%, o rendimendo da poupança (em termos brutos) será de 1,4% ao ano. (70% de 2%, entendeu?) o que se fossemos estimar por mês, proporcionalmente, teríamos um rendimento de 0,12% ao mês.


2) Tesouro Direto


Tesouro Direto é um programa do Tesouro Nacional, juntamente com a B3 (que é a nossa Bolsa de Valores brasileira) por onde o investidor consegue comprar títulos da dívida pública federal através da Internet. Em termos práticos significa você emprestando o seu dinheiro para o Governo Federal para que ele possa realizar as suas atividades operacionais e ao término de um prazo o seu dinheiro vai ser devolvido com os devidos juros acordados na compra do título escolhido. Existem algumas espécies de títulos do Tesouro Direto, como o Tesouro SELIC, Tesouro IPCA, Tesouro Pré-Fixado, cada um com as suas devidas característica para que o investidor possa adequar a sua estratégia de investimento ao adquirir algum deles, mas basicamente a diferença principal é sobre o fato de serem pré-fixados ou pós-fixados.



3) CDB (Certificado de Depósito Bancário)


Esse investimento tem o seguinte funcionamento: você empresta o seu dinheiro diretamente para um banco usar em suas operações, e assim o banco lhe paga juros por esse empréstimo. O CDB segue a mesma lógica da Caderneta de Poupança, a diferença é que tem uma rentabilidade levemente maior. É bem comum encontrar CDB que lhe paga juros em 100% do CDI. Essa sigla CDI significa Certificado de Depósito Interbancário. É um título que é emitido de banco para banco quando eles emprestam dinheiro entre si e a taxa definida nesse certificado é a referência para remunerar os investidores em CDB (deu pra entender essa sopa de letrinhas?). Usualmente a taxa CDI fica levemente abaixo da SELIC, hoje estando em 1,90%.

Uma característica que torna o CDB mais atrativo em relação à poupança, além da taxa de remuneração, é que existem CDB no mercado que são atualizados diariamente, ou seja, a taxa de juros é aplicada dia após dia, não precisando esperar dar 30 dias para que o investidor tenha a sua remuneração.


4) LCI (Letras de Crédito Imobiliárias) e LCA (Letras de Crédito do Agronegócio)


As LC (Letras de Crédito) são títulos emitidos por instituições financeiras (bancos e corretoras) onde você empresta seu dinheiro para fomentar setores da economia. No caso da LCI você está fomentando o setor imobiliário. Já com as LCA você empresta dinheiro para fomentar o setor do agronegócio. Aqui a lógica é a mesma, você empresta recursos para poder ser remunerado depois de um certo prazo. O grande diferencial desse tipo de investimento é o tempo em que os recursos devem permanecer aplicados (geralmente com prazo mínimo de 30 dias, podendo chegar a 360 dias), e a isenção de Imposto de Renda e IOF (já que irão fornecer recursos para setores econômicos, nada mais justo do que ter uma contrapartida do Governo, na forma de isenção de tributos). Além disso as LC podem ser classificados como Pré-fixadas (onde você já sabe quais as taxas de juros para compor sua remuneração) e Pós-fixadas (onde você só saberá ao certo a remuneração após o período em que seus recursos estiverem investidos).


5) Fundos de Investimentos


Nesse tipo de investimento são reunidos valores de vários investidores para que sejam investidos em determinados tipos de ativos, como por exemplo, um fundo de investimento em ações, onde os recursos somados dos investidores serão, em sua maior parte, usados para investir em ações de empresas. Existem vários tipos de fundos de investimentos, mas a lógica é sempre a mesma: você compra cotas (se tornando assim um cotista) do fundo de investimentos e deixa a gestão do patrimônio do fundo para um gestor profissional executar as estratégias de investimento para assim obter os lucros para que possam ser distribuidos aos cotistas. Alguns fundos são considerados "abertos" quando os cotistas podem vender e comprar cotas quando quiserem; e também podem ser considerados "fechados", onde a compra e venda de cotas apenas podem serm feitas em prazos determinados pela gestão do fundo.


Então, de maneira geral, esses são os principais investimentos em renda fixa disponíveis no mercado financeiro. Tais investimentos podem ser usados para vários objetivos financeiros que você tenha, como por exemplo, criar sua Reserva Financeira ou deixar seu dinheiro rendendo juros a fim de que ele tenha seu poder de compra conservado para sua utilização futura.


CLIQUE AQUI para conhecer o meu e-book: "Princípios da boa gestão financeira". Um manual simples e prático com os conhecimentos sobre Educação Financeira que irá lhe ajudar a alcançar um nível financeiro mais sustentável e próspero!


29 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo